domingo, 17 de abril de 2011

Império Bizantino - Resumo

Fim do Império Romano e Início do Bizantino 

Quando se inicia o império bizantino e termina o romano é um ponto de muita contestação entre historiadores. Alguns marcam o início em 300 d.C. quando Constantino I muda a capital do império romano de Roma para a cidade chamada Bizâncio (posteriormente Constantinopla). Outros marcam a origem do império bizantino no fim do reinado de Teodósio I, que em sua morte dividiu o império romano em ocidental, governado a partir de Roma e oriental, governado a partir de Constantinopla. Independentemente do debate histórico, depois do saque de Roma em 476 d.C. o império bizantino se tornou a maior das nações européias na arte, comércio e estabilidade. Ao assumir o trono em  527 d.C. Justiniano I estendeu o alcance do império de Constantinopla até as mais distantes costas do Mediterrâneo.

Lutas Territoriais e Religiosas

Porém os bizantinos não se beneficiaram dessa expansão por muito tempo, pois os sucessores de Justiniano logo se viram tendo de enfrentar diversos inimigos: os persas sassânidas, os búlgaros e os árabes, que agora estavam reorganizados, perdendo a estes territórios. Essa perda continuaria a enfraquecer o império até uma nova linhagem de imperadores, conhecida como os Imperadores Macedônicos, revigorar o império mais uma vez. Basílio I fundou a linhagem macedônica em 869. Sob esta linhagem, o império bizantino mais uma vez conseguiu expandir-se, reforçando o território ao redor de Constantinopla. A arte floresceu bastante durante os dois séculos seguintes assim como o fez a igreja grega ortodoxa. O novo milênio seria difícil para os bizantinos. As relações entre a Igreja Católica Romana e a Igreja Ortodoxa Oriental estavam se deteriorando há muitos anos e o conflito levou a “Grande Cisma” de 1054, que separou definitivamente as duas religiões. Militarmente, ataques cada vez mais freqüentes dos turcos culminaram na derrota para Bizâncio na batalha de Manzikert, com o império perdendo a maior parte do território que havia conquistado. 

Cruzadas e Declínio

Mas mais uma vez uma nova dinastia reverteu o declínio do império. Esta nova dinastia, os Comnenius, enviou um chamado à Europa ocidental pedindo auxílio contra os turcos. O Papa Urbano II, vendo a chance de recuperar Jerusalém e ainda terminar com as guerras internas entre os reis europeus, deu início à primeira Cruzada. Através dos esforços dos cruzados, o império bizantino recuperou parte de seu território perdido. Mas os guerreiros da Europa ocidental se tornaram difíceis de controlar, ameaçando saquear o próprio império que chamou sua ajuda.  Os imperadores da dinastia Comnenius conseguiram conter os cruzados e também uma infinidade de inimigos e ainda assim elevar Bizâncio a uma nova era de florescimento artístico e econômico.

Manuel I foi o último dos grandes imperadores bizantinos e também de sua linhagem. As dinastias seguintes provaram-se incapazes de impedir o declínio do império e em 1204 os cavaleiros da Quarta Cruzada saquearam Constantinopla e dividiram o império bizantino em reinos menores.  Houveram ainda tentativas de reconquistar e reavivar Constantinopla, o que não foi possível. Em 1453 a cidade foi tomada pelos turcos, o que marca oficialmente o final do império bizantino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário